Monumento ao Dois de Julho é entregue após 6 meses de restauro

Um dos símbolos mais importantes da Independência do Brasil na Bahia, o Monumento ao Dois de Julho, no Campo Grande, foi restaurado e entregue em cerimônia na manhã desta sexta-feira, 6. A intervenção durou seis meses e contou com investimento de R$ 829 mil.

“Essa é uma das praças mais importantes do ponto de vista histórico da cidade e, sem dúvida, o monumento mais importante da Bahia. Dedicamos seis meses de um trabalho complexo e feito com capricho e eficiência”, afirma o prefeito ACM Neto.

A ação envolveu a reposição de peças danificadas e furtadas, limpeza e pintura. Além da recuperação da pavimentação, postes e luminárias. Foi necessário restituir uma quantidade expressiva de itens pertencente aos animais que integram o símbolo. Foram implantadas cerca de 650 letras da inscrição da alegoria, além das peças de mármore.

“O monumento é, sem dúvida, o mais belo e rico em alegorias. Possui 26 metros de altura, inaugurado em 1895, e praticamente foi todo construído na Itália, as águias e a representação dos rios foram fundidas em Roma. Os leões representam a força, alguns quebrando as correntes representando o Brasil se livrando do domínio português. Me sinto muito feliz por restaurar essa escultura pela segunda vez”, comentou o restaurador José Dirson.

Uma nova pintura foi feita nos oito candelabros em ferro. As peças passaram por tratamento com proteção antiferrugem, consolidação das trincas e fissuras, com preenchimento com resina epóxi e fibra de vidro.

O serviço de restauração foi realizado pelo Studio Argolo Antiguidades e Restaurações. A última restauração executada aconteceu em 2003 pela mesma empresa. Orientada pela Fundação Gregório de Mattos (FGM), a intervenção contou com uma equipe de 12 profissionais.

O caboclo, com 4,1 metros de altura, com arco e flecha e armado com uma lança, matando um dragão, chamou a atenção do aposentado Leocátio Pita, 75 anos, que diariamente passa pelo local. “Está lindo e maravilhoso. Tão belo que não consigo definir o mais encantador, mas o caboclo prendeu a minha atenção”, disse.

Para garantir a segurança, foi implantada uma base da Guarda Municipal na praça, com funcionamento 24 horas e videomonitoramento. “Iremos ficar atentos aos atos de vandalismo, mas que a população também cuide do monumento e que não alimente os pombos perto de monumentos. As fezes dos animais corroem e destroem”, disse o presidente da FGM, Fernando Guerreiro. (As informações do Estadão)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *