SSP atualiza Baralho do Crime com homicida de professor no Rio Vermelho

Foram inseridos na manhã desta quinta-feira, 13, sete suspeitos no Baralho do Crime da Secretaria de Segurança Pública da Bahia, incluindo a do homicida de um professor no bairro do Rio Vermelho, em Salvador. Ao fim deste ano, a ferramenta possui 48 cartas alteradas, nos quatro naipes, com criminosos que agem em Salvador e região metropolitana e também no interior do estado.

O novo “Rei de Espadas” é procurado pelo latrocínio (roubo seguido de morte) do professor Danilo Fortuna Mendes de Souza, que ocorreu em setembro deste ano. Anselmo Santos da Conceição – que é conhecido pelos apelidos “Sel”, Chico, “Seu Barriga” e “Negão” – ocupa agora a posição que antes era de Edson Valdir Souza Silva, o “Valdir do Sem Terra”.

Demais cartas

Conhecido como “Bolinho”, Mateus de Jesus Santos é procurado por homicídio e assume o novo “Quatro de Espadas”, ocupando o espaço de Vagney dos Santos Aquino, apelidado de “Vaguinho”. Mateus costuma atuar na região de Cajazeiras.

Daniel dos Santos Silva, o “Wolverine”, é o “Valete de Copas”. O homem é foragido de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), sob suspeita de homicídio. Daniel ocupa a vaga de Eduardo de Jesus Evangelista, o “Dudu”.

Ainda seguindo o naipe de Copas, o “Seis” possui o rosto de Tiago de Souza Pinto, apelidado de “Manjare” ou “Thiaguinho”, do bairro de Dom Avelar. Ele passa a substituir Marivan Elias da Silva, o “Quila”.

Anderson Vieira Nunes dos Santos, o “Baê”, é procurado por homicídio qualificado e atua na região de Canabrava. O homem assume o “Nove de Ouros”, antes ocupado por Eldo Ferreira Batista, preso no Espírito Santo, em novembro deste ano.

O “Nove de Paus” também é investigado por homicídio qualificado. Diego Freitas Sacramento, conhecido como “Brabo”, ocupa o lugar de Rivandeck Correia Pereira. Já o “Três de Paus” agora recebe a imagem de Wellington de Jesus Santos, o “Caverinha”, de Periperi, no subúrbio ferroviário.

O Baralho do Crime da SSP tem como objetivo divulgar a imagem dos suspeitos considerados mais perigosos na Bahia e contribuir com as capturas deles. Quem ver um dos envolvidos pode realizar a denúncia, de forma anônima, por meio do Dique Denúncia: 3235-0000 (capital) e 181 (interior do estado). (As informações do A Tarde)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *