‘Fraude do vômito’: usuários de Uber reclamam de taxas indevidas nos EUA

Quem já foi responsável por um acidente envolvendo fluídos corporais dentro de um carro da Uber provavelmente sabe que a empresa se reserva o direito de cobrar uma “taxa de vômito” dos clientes. Nos EUA, ela pode variar entre US$ 80 e US$ 150, dependendo da bagunça, e é utilizada para compensar o motorista pela limpeza profissional que ele provavelmente terá que pagar caso queira continuar utilizando o carro.

No entanto, algumas pessoas que trabalham para a Uber podem estar se aproveitando desse sistema para receber o dinheiro de passageiros que não causaram nenhum problema durante a viagem. É o que notou um jornal local ao entrevistar várias pessoas que utilizam os serviços do aplicativo de transporte na cidade de Miami e foram cobradas indevidamente.

Não é difícil perceber como o sistema da Uber pode ser enganado, já que o motorista só precisa enviar uma foto do carro vomitado e dizer em que viagem aquilo aconteceu. A empresa vai automaticamente cobrar a taxa de limpeza do passageiro em questão, que precisa abrir uma disputa caso queira contestar a versão do motorista.

Para piorar, a “taxa de vômito” está sendo cobrada mesmo em casos nos quais o motorista nem aparece, como relatou uma das entrevistadas. Ela disse ter pedido o carro e cancelado a corrida porque o motorista nunca apareceu. No dia seguinte, foi cobrada tanto pelo cancelamento como por uma suposta limpeza no veículo que ela nem chegou a ver.

Em todos os casos relatados, a Uber acabou por extornar o dinheiro dos passageiros, mas isso exigia uma troca de três ou quatro e-mails explicando a situação. De acordo com um motorista que falou anonimamente com a reportagem, isso é uma atitude relativamente comum entre seus parceiros de profissão, que pedem a cobrança e torcem para que a pessoa não preste muita atenção no aplicativo ou na fatura do cartão de crédito. Pelo menos um motorista já chegou a ser expulso da plataforma após fazer isso diversas vezes.

Alguns até podem usar a situação em benefício próprio, mas sem descumprir as regras estabelecidas pela empresa. Outro motorista relatou que sempre procura atender passageiros em regiões onde há muitas pessoas bêbadas voltando para casa. Quando um acidente acontece, ele mesmo faz a limpeza do carro e fica com o dinheiro que deveria ser utilizado em uma limpeza profissional.

Procurada para comentar o caso, a Uber disse que realiza mais de 15 milhões de viagens todos os dias e não está imune a esses tipos de incidentes. De fato, é difícil imaginar um sistema melhor que possa ser implementado para proteger os motoristas de acidentes ao mesmo tempo em que garante o direito dos clientes de contestar a acusação. Para se proteger de uma possível cobrança indevida, é bom sempre ficar atento ao valor final cobrado e aos e-mails e notificações sobre a viagem que chegam em sua conta.

No Brasil, a Uber também cobra uma taxa de limpeza para cobrir danos aos veículos causados pelos usuários. Ela pode variar entre R$ 50, para pequenos acidentes, como derramamento de bebidas ou comidas, a até R$ 350, para “danos grandes envolvendo fluidos corporais” ou “incidentes que exijam limpeza entre a janela e a porta ou nas saídas de ar”.

De acordo com a página de ajuda da empresa, essas taxas são calculadas com base na média do que é cobrado por lavagens profissionais no país. Ela também destaca que você deve entrar em contato caso acredite que a cobrança foi injusta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *