Lanterna, Argentina joga a vida diante da Nigéria, hoje

Dramática. Essa, talvez, seja a palavra ideal para definir o momento atual da Argentina. Lanterninha do Grupo D, com apenas um ponto, os hermanos decidem a vida na Copa do Mundo diante da Nigéria, nesta terça-feira (26), a partir das 15h, em São Petersburgo.

Só o triunfo interessa a equipe albiceleste. E mesmo assim, caso isso aconteça, os argentinos precisam torcer para um tropeço da Islândia contra a já classificada Croácia, em jogo que começa no mesmo horário. Em terceiro na chave, também com um ponto, os islandeses levam vantagem no saldo de gols (-2 contra -3). Aí a Argentina precisaria superar o saldo para não depender de outros critérios de desempate.

Se depender do histórico, a equipe do técnico Jorge Sampaoli pode ficar tranquila. As duas seleções já se enfrentaram quatro vezes na história da Copa do Mundo e, em todas elas, os sul-americanos saíram vitoriosos: 2×1 em 1994 (Estados Unidos), 1×0 em 2002 (Japão e Coreia do Sul) e 2010 (África do Sul), e 3×2 em 2014 (Brasil). Neste último duelo, por sinal, Messi marcou pela última vez em Copas, balançando as redes duas vezes.

“Estou convencido que a partir de amanhã (hoje) muda a história para esta seleção. Tenho muitos argumentos para acreditar nisso”, afirmou o confiante treinador Sampaoli, para depois completar. “Temos que jogar essa partida com o coração, transmitir uma equipe decidida a buscar a partida e a classificação para a próxima fase”.

Ainda apagado na atual edição do torneio, tendo perdido até um pênalti na estreia, contra a Islândia, Messi é outro com boas lembranças dos nigerianos. No Mundial sub-20 realizado em 2005, o camisa 10 fez os dois gols da final vencida por 2×1 pelos argentinos. Três anos depois, na final dos Jogos Olímpicos de Pequim, o craque esteve em campo na vitória por 1×0 da Argentina sobre a Nigéria, gol de Di María.

A Argentina tem mudanças para o jogo. Caballero, vilão na derrota por 3×0 contra a Croácia, foi sacado. Di María e Higuaín, por sua vez, ganharão oportunidade. O time deve jogar com Armani, Mercado, Otamendi, Rojo e Tagliafico; Mascherano, Banega, Enzo Perez e Di María; Messi e Higuaín.

Confiança
Jogando praticamente por um empate para se garantir nas oitavas de final – a Islândia precisa vencer a Croácia e tirar a diferença do saldo (0 a -2) -, a Nigéria confia num bom desempenho perante a Argentina. Musa, artilheiro da equipe na Copa da Rússia, com dois gols, aposta no triunfo.

“O jogo contra a Islândia (triunfo por 2×0) deu muita confiança e nos fez acreditar que podemos vencer a Argentina. Nunca os vencemos antes numa Copa, mas há uma grande motivação. Não vamos para São Petersburgo para perder. Queremos vencer e sabemos que podemos fazer isso”, garantiu ele, animado. (As informações do Estadão)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *