Queda de helicóptero que teria sido sequestrado mata 3 em SC

A queda de um helicóptero que teria sido sequestrado matou três pessoas e deixou outra ferida ontem em Joinville, no norte de Santa Catarina. Ninguém foi atingido no solo. O sobrevivente cumpria pena em um presídio da região. A Polícia Civil investiga o caso. Segundo o 17º Batalhão da Polícia Militar, o helicóptero caiu perto de casas no bairro Paranaguamirim e depois pegou fogo. O acidente aconteceu por volta das 15h45 desta quinta-feira (8).

As vítimas são o piloto Mário Franco Aguiar, de 57 anos, o copiloto e um passageiro. Uma quarta vítima, identificada como Daniel da Silva, de 18 anos, foi resgatada com vida e estava internada na noite de ontem no Hospital São José, com queimaduras no corpo.

A principal linha de investigação da Polícia Civil é de que a aeronave tenha sido sequestrada. A rota normal do helicóptero seria os passeios panorâmicos do Parque Beto Carreto World, de Penha. A aeronave, porém, estava sobrevoando Joinville, que fica a 174 quilômetros de distância.

De acordo com a Polícia Militar, duas armas foram encontradas entre os destroços – uma pistola e um revólver. O local do acidente foi cercado. A queda da aeronave aconteceu perto do Presídio Regional de Joinville, o que reforça a hipótese investigada pela polícia.

Silva, sobrevivente do acidente, cumpria pena em regime semiaberto no presídio. Segundo as investigações, o piloto teria encaminhado um código de alerta, informando que a aeronave havia sido sequestrada.

A Polícia Civil e o Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa apuram as causas do acidente. Beto Carrero Em nota, o parque Beto Carrero World lamentou o ocorrido.

Segundo o parque, a aeronave pertence à empresa Avalon Taxi Aéreo, que terceiriza o serviço de voos panorâmicos no complexo. O Beto Carrero ainda disse que “a aeronave não estava operando nas rotas oferecidas de serviços pelo parque”.

O Estadão tentou contato com a Avalon Táxi Aéreo, mas não obteve retorno até ontem à noite. Joinville tem sido alvo de constantes ações policiais. O município é considerado centro de disputa de facções pelo mercado de drogas no Estado. (As informações do Estadão)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *