“Política não se faz com aritmética”, diz Lídice sobre compor chapa de Rui

A senadora Lídice da Mata (PSB) disse, neste domingo (11), no Campo Grande, que “política não se faz com aritmética”, ao ser perguntada sobre a chances do PSB compor a chapa do governador Rui Costa (PT), levando em conta que os partidos que estão no páreo, como PSD, PP e PT, têm número considerável de prefeitos e cadeiras nos Legislativos. Lídice disse, ainda, que agregação se faz com “valor e opinião pública”.

Ela também confirmou que o ex-presidente Lula externou “certo espanto” pelo fato de ainda não estar consolidada sua candidatura [de Lídice] pela reeleição ao Senado, conforme noticiado nas últimas semanas. O fato até chegou a alvoroçar os partidos que estão na disputa pela duas vagas na chapa de Rui, incluindo aí o nome do ex-governador Jaques Wagner.

Mas o próprio Rui Costa já chegou a dizer, em ocasião recente, que PSD, PP e PT seriam os partidos prioritários na disputa pelas vagas da chapa. Só no âmbito estadual, o PSD tem mais de 80 prefeituras e a segunda maior bancada na Assembleia Legislativa, com 7 parlamentares. O PP tem cinco deputados estaduais e elegeu 55 prefeitos em 2016; o PSB fez 22 prefeitos e 3 deputados estaduais. O PT tem 39 prefeituras e 10 deputados na Assembleia.

“Não entendo essa conta. Agregar o que? Se estão todos da mesma base? Os prefeitos que estão computados na aritmética de cada partido já integram a base do governo. E eu não vejo possibilidade de eles se afastarem desse apoio, dessa base, em função da composição de chapa. Não compreendo essa matemática de política. Política não se faz com aritmética. Agregação é valor, imagem opinião pública”.

Lídice disse, ainda, que quem escolherá os nomes que comporão a chapa é o governador Rui Costa, mas que está confiante pelo trabalho que realizou. “E até porque já sou senadora da República”. (As informações do A Tarde)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *